Padre Luis Fernando se despede de Vargem

 

O padre vargengrandense Luis Fernando da Silva, filho de Cleuza Gaiardo da Silva e Rovilson Saturnino da Silva e irmão do Rafael, após um ano servindo à igreja Matriz de Sant’Ana, deixará os trabalhos em Vargem para se dedicar a uma nova etapa, um novo cargo na Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Dos 24 padres ordenados em Vargem Grande do Sul, este será o posto mais alto que um deles já atingiu. Neste sábado e domingo o padre realiza suas últimas missas na cidade e então seguirá para Brasília, na sede da CNBB.
A Gazeta esteve em contato com o padre Luis Fernando na última quarta-feira, dia 25, para conversar sobre seu trabalho em Vargem e as expectativas como Diretor Editorial da CNBB. “Eu fui nomeado para Vargem Grande diácono. Fui ordenado em 14 de agosto de 2015 e fui nomeado para ajudar na Paróquia de Sant’Ana. Após o semestre, em dezembro de 2015 quando fui ordenado padre, o bispo pediu para que eu continuasse servindo aqui na Paróquia, permanecendo por um ano e seis meses aqui”, destacou.
“Primeiro, foi uma graça de Deus eu ter podido estar na minha cidade natal, perto da minha família e onde eu me criei. Fazia dez anos que eu estava fora estudando, então voltar depois de todo esse tempo foi uma graça imensa. O carinho, como vargengrandense, eu já sentia na acolhida dos padres, agora eu pude experimentar na minha própria pele, pois o povo vargengrandense é extremamente acolhedor, carinhoso, neste período eu percebi que eu fiquei cercado pelo carinho do povo”, contou.
O padre também destacou o empenho das pessoas da comunidade nos trabalhos desenvolvidos junto à igreja. “Depois percebi que o povo de Vargem tem um carinho muito grande pela igreja, os projetos pastorais aqui fluem com muita facilidade, o povo tem adesão, então me ajudou muito isso. Cada vez que a gente propunha um projeto pastoral, existia adesão por parte do povo e também pude amadurecer com algumas pessoas, a ir se corrigindo, ir se acertando, então neste sentido foi muito positivo”, disse.

A nova empreitada
O padre vargengrandense foi convidado para trabalhar na Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), uma instituição de 60 anos que tem como função ser um organismo de unidade dos bispos do Brasil, com sede em Brasília. “Para funcionar esta sede, há vários departamentos, dentre eles estão para a juventude, para a missão, para os seminários, para os padres, para os religiosos, para a família, vários setores. Cada bispo é responsável por um setor e para cada, um padre para assessorá-lo”, informou.
“Fui designado para ajudar no setor das edições. A CNBB tem uma editora própria, pela qual ela publica os documentos do papa no Brasil, pelos quais ela publica todos os documentos da CNBB. A editora já tem um editor geral, mas faltava alguém para acompanhá-lo na parte editorial, eu vou ajudá-lo neste processo, a minha função a partir de fevereiro será de Diretor Editorial da CNBB. O meu processo será acompanhar a publicação dos documentos da conferência ou do papa. Por exemplo, quando o papa vai publicar um documento em Roma, eles são oficialmente escritos em latim e são cedidos para o mundo todo em segredo, geralmente de dois a três meses antes da publicação do oficial, neste período que está em segredo, traduzem em português brasileiro, deixam pronto e quando lançam o oficial em Roma, automaticamente eles lançam aqui no Brasil”, explicou.
“Sobre a expectativa, a gente, primeiramente, fica medroso porque é um trabalho de alta responsabilidade”, admitiu. “Geralmente os padres que vão para a CNBB vão com a media de 20 anos de padre, então aconteceu uma exceção de um padre tão jovem, com apenas um ano, ser chamado para a instituição. Mas estou confiante, se Deus me chamou para esta função, ele me dará a graça e irá me capacitar e ajudar, e também sei que chegando lá eu não estarei sozinho, terei o apoio de outros padres mais experientes, dos bispos da CNBB, e vou com o coração aberto, dar o melhor de mim, servir e amar a igreja neste novo estilo de trabalho”, destacou.

Mensagem ao povo
Com o extremo carinho e bondade que cativou e conquistou milhares de vargengrandenses, o padre Luis Fernando deixou uma mensagem aos moradores de Vargem Grande do Sul. “Para Vargem Grande, eu tenho uma palavra e um pedido. A palavra é gratidão. Eu tenho uma imensa gratidão pela cidade por todo o bem que pude experimentar, pela bondade de Deus que eu pude experimentar neste lugar, por cada pessoa, pelo padre Paulo, pela Paróquia Sant’Ana, pela minha paróquia de origem que é a de Santo Antônio, pelo Padre Mario Sérgio, e todas as Paróquias que eu pude de um modo ou de outro, estar presente este ano”, disse.
“O pedido que eu tenho é que rezem por mim, o papa sempre tem pedido que rezem por ele, agora eu peço para que rezem por mim também, pois será uma missão desafiadora, mas eu confio que quando os irmãos rezam uns pelos outros a gente vai se fortalecendo na fé. Com certeza, de Brasília estarei lembrando de Vargem Grande do Sul nas minhas orações e aqui é minha terra natal, meu lugar de referência, para passar a Semana Santa, os feriados, posso voltar e reencontrar as pessoas”, afirmou.

 

 

Faça seu comentário

Utilize o formulário abaixo para realizar o seu comentário



Ainda não sou cadastrado